Audiência Pública com a Light é realizada com êxito pela Câmara

O evento foi proposto pelo presidente e pelo 1º secretário da Casa Legislativa Municipal e foi aberto ao público, respeitando todos os protocolos de prevenção contra a Covid-19

Instrumentos imprescindíveis para garantir o envolvimento da população na tomada de decisões que impactarão a coletividade, além de sinalizar a atuação do Poder Público em prol de uma gestão participativa no município, as audiências públicas buscam promover uma gestão democrática e medidas essenciais para discussões amplas acerca de implicações diretas e indiretas no cotidiano da população.

É partindo dessa premissa que a Câmara Municipal de Duque de Caxias, por proposição do seu presidente, vereador Celso do Alba (MDB) e do seu primeiro secretário, vereador Claudio Thomaz (DEM), realizou na manhã desta quarta-feira (23/6), uma audiência pública com a Light Serviços de Eletricidade S.A. a fim de debater questões relacionadas à qualidade dos serviços prestados pela concessionária de energia, que fornece energia para diversas regiões da cidade.

Leia também: Programa “Escola Amiga” é anunciado pela Câmara de Caxias

A reunião aconteceu no plenário Vilson Campos Macedo e além de reunir na mesa os vereadores Valdecy Nunes (Patriota), Anderson Lopes (Republicano), Dr. Maurício (Avante), Delza de Oliveira (Patriota), Moisés Neguinho (PMB) e vários outros parlamentares da Casa – que participaram da audiência no plenário, contou também com a presença do deputado Estadual, Rosenverg Reis (MDB), de representantes da Light, do procurador Geral do Município, Dr. Fabricio Gaspar Rodrigues, do secretário Municipal de Meio Ambiente e Proteção Animal, Marcos Tavares, do presidente da Fundação de Apoio à Escola Técnica, Ciência e Tecnologia de Duque de Caxias - Fundec, Jonas Santana, e de vários moradores e personalidades da cidade, que buscavam respostas com relação às interrupções e falhas na distribuição de energia elétrica, cortes e suspensões irregulares do fornecimento, prática de cobranças excessivas ou abusivas, aplicação de multas indevidas e sem comunicação prévia ou justificativa válida e legítima, e também, sobre a realização de vistorias sem a presença do proprietário ou morador do imóvel, entre outros problemas.

“O nosso objetivo é trazer melhorias e transformar muito mais a vida das pessoas. Tenho certeza que essa é a vontade de todos os vereadores, pois temos ideias que convergem para um só objetivo: a transformação de Duque de Caxias como a melhor cidade do Brasil”, disse o presidente da Casa e um dos idealizadores da iniciativa, Celso do Alba, como forma de justificar a realização do evento.

“Isso aqui não é uma queda de braço, nem muito menos uma briga da Câmara e o povo contra a Light, é apenas uma união de poderes para levar qualidade de vida para a população e paz para todos nós. É simplesmente isso”, justificou um dos autores da realização do evento, o vereador Claudio Thomaz.

Durante mais de 3 horas de discussão, os superintendentes da Light, Daniel Mendonça (Relações Institucionais), Dreyfus Queiroz Vasconcelos (Atendimento ao Cliente) e Marcelo Amaral (Recuperação de Energia), ouviram tanto dos vereadores, quanto dos cidadãos duquecaxienses, relatos chocantes de diversas falhas e abusos cometidos pela companhia.

A moradora Maria das Graças - que paga sua conta de luz muito antes da data de vencimento - disse que já ficou sem energia elétrica durante 90 dias. “Meu neto me ligou dizendo que um moço iria cortar a minha luz porque encontrou um defeito no relógio. Pedi para falar com ele, e ele me disse que minha energia seria cortada devido a um débito que eu tinha. Quando cheguei na agência, me disseram que eu tinha que pagar a dívida de uma pessoa que morou na minha casa antes de mim”, contou ela que fazia sorvetes para complementar a renda e, devido ao episódio, teve todo o material de fabricação do produto estragado e o freezer queimado.

O advogado Thales Santos da Mota, outro cidadão que marcou presença e que fez questão de expor situações desagradáveis causadas pela empresa, ficou satisfeito com a realização do evento. “Tanto a sociedade, como as organizações puderam fazer as suas reivindicações e repudiar práticas levianas, de enriquecimento sem causa e enriquecimento ilícito praticados pela Light, que tem sido realizado na Baixada Fluminense, principalmente aqui em Duque de Caxias. Com essa audiência pública, tivemos a chance de discutir os maiores problemas com relação à prestação de serviço e aplicação de multas arbitrárias com cláusulas abusivas”, opinou o advogado, que reside no município.

Respondendo aos diversos questionamentos, um dos representantes da empresa disse: “Estamos revendo processos, e o objetivo é que a gente possa voltar em dezembro, para apresentar alguns resultados desse novo modelo de gestão. Iremos revisitar e corrigir aquilo que está errado no funcionamento, e criarmos um canal de diálogo para chegarmos a um denominador comum. Combinei com o presidente da Câmara que todas as demandas poderão ser acolhidas em seu gabinete, e em seguida oficiadas para a Light. Dessa forma, responderemos uma a uma, para que nada fique sem resposta”, garantiu Daniel Mendonça, superintendente de Relações Institucionais da Light.

“A audiência foi muito positiva. Ela serviu para darmos uma resposta para o nosso povo e tenho certeza que daqui a 6 meses teremos uma outra audiência para mostrar que tudo está fluindo bem. Os vereadores têm se mostrado coesos e estão colocando em prática tudo o que almejamos, que é defender os nossos munícipes. Saímos daqui com diversos assuntos pontuados, como por exemplo, a unidade móvel da Light, que vai visitar os quatro distritos da cidade para ouvir a população. Muita gente não tem acesso por falta de informação e nós temos que passar isso adiante”, comentou Celso do Alba.

Na opinião do deputado Rosenverg Reis, o vereador é o fiscal do povo. “Eles têm que cobrar. E mesmo que a concessionária seja Federal ou Estadual, a Câmara vive na ponta, então eles têm que cobrar. O cidadão cobra aos vereadores, como cobra a mim, deputado Estadual. Esse abismo entre contribuinte e concessionária tem que acabar. A Câmara tem que provocar mesmo e trazer o problema para si, cobrando soluções”, disse o representante duquecaxiense no plenário Estadual.