Com obras já iniciadas, novo Restaurante do Povo da Central vai servir até 5 mil refeições por dia

Apresentado na quinta-feira pelo governador Cláudio Castro, projeto terá investimento total de R$ 9 milhões e engloba a reforma do entorno da unidade

O governador Cláudio Castro apresentou, na quinta-feira (12/05), o projeto do novo Restaurante do Povo da Central do Brasil.

A unidade, uma das mais simbólicas dentro do conceito de refeições a preços populares, será erguida em um terreno localizado na Rua Barão de São Félix, entre a estação do VLT Central e o terminal rodoviário Américo Fontenelle. A obra já teve início e o investimento do governo estadual somente neste novo restaurante é de R$ 6,7 milhões. Serão investidos ainda cerca de R$ 2,3 milhões na reforma do entorno.

- O Restaurante do Povo representa o cuidado com a necessidade mais básica do cidadão, que é se alimentar dignamente. Nosso objetivo é que estas unidades sejam a porta de entrada dos mais vulneráveis para uma política pública completa, com acesso à saúde, educação e aos serviços de qualidade - ressaltou o governador.

Leia também: Cláudio Castro lança obras de infraestrutura em Nova Iguaçu

De acordo com a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras (Seinfra), a previsão para a conclusão das intervenções é de, aproximadamente, três meses.  A obra está a cargo da Quick House, empresa vencedora da licitação realizada pela Seinfra. O diferencial da iniciativa é que o entorno do novo restaurante também passará por obras de melhorias.

- Vamos atender milhares de pessoas com uma refeição a baixo custo e, principalmente, de qualidade. O Estado retomou o projeto de construção ou reforma destas unidades que estão presentes em diversas regiões do Rio de Janeiro - disse o secretário de Infraestrutura e Obras, Rogério Brandi.

Após a reforma, a operação do Restaurante do Povo passará para a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. A pasta estima que cinco mil refeições serão fornecidas diariamente, entre 2 mil cafés da manhã e 3 mil almoços, só na unidade da Central do Brasil.

Leia também: Um programa de amor à vida: Programa Viver Vale a Pena

- A retomada da distribuição de refeições no Centro da capital é muito simbólica para o governo estadual. Um lugar por onde transitam milhares de cidadãos, que precisam e merecem esse serviço, em um restaurante que se tornou um marco para todo o programa de alimentação de nosso estado - reforçou o secretário de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Julio Saraiva.

Cerca três milhões de refeições servidas em um ano

O projeto de expansão das unidades do Restaurante do Povo faz parte do PactoRJ - programa de investimento do Governo do Rio - e busca minimizar os impactos da crise causada pela pandemia da Covid-19 em todo o estado, principalmente para quem vive em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

Atualmente, existem três unidades em funcionamento: Caxias, na Baixada Fluminense, Campos, no Norte Fluminense, e Petrópolis, na Região Serrana. Juntos, os locais fornecem 13.200 refeições por dia a preço popular:  R$ 1,00 (almoço) e R$ 0,50 (café ou lanche). No período de um ano, o Restaurante do Povo já serviu cerca de 3,2 milhões de refeições à população do estado.

As unidades de Madureira, na capital; São Gonçalo, no Leste Fluminense; Belford Roxo, na Baixada; e de Barra Mansa, no Sul do estado, já estão em obras e devem ser entregues à população até o fim deste ano. A de Petrópolis também passa por reformas, mas segue em funcionamento, com a oferta de refeições prontas.

Ao todo, pelo PactoRJ, serão 24 Restaurantes do Povo em todo o Rio de Janeiro com o investimento previsto de R$ 200 milhões.