Governador em exercício sanciona PL com novo regime tributário para o setor atacadista

  • Publicado em Matérias

Aprimoramento do programa RioLog prevê redução de impostos para empresas do segmento

Governador em exercício sanciona projeto Eliane Carvalho RJO governador em exercício Cláudio Castro sancionou, na sexta-feira (25/9), o projeto de lei que prevê o novo regime tributário para estimular o setor atacadista no Estado do Rio de Janeiro.

O aprimoramento do Programa de Fomento ao Comércio Atacadista e Centrais de Distribuição, o RioLog, vai reduzir de 20% para 12% a alíquota de ICMS para operações no estado. O imposto será de 1,1% para as operações interestaduais. Para processos internos envolvendo produtos da cesta básica, fica mantida a alíquota de 7%.

- Tenho que agradecer aos deputados da Alerj e aos empresários que estão aqui, porque hoje estamos inaugurando um pacto pela retomada do nosso estado. Este decreto vai ajudar a trazer mais empregos, e a economia vai voltar a crescer - ressaltou Cláudio Castro.

Leia também: ALERJ aprova prosseguimento de impeachment de Witzel por unanimidade

Governador em exercício sanciona projeto Rogério Santana RJO RioLog vai aumentar a competitividade do Estado do Rio de Janeiro, que conta com estrutura logística e portuária para receber novas empresas e é o segundo maior mercado consumidor do Brasil. O sistema também garante mais segurança às operações internas, já que as novas regras trazem condições equivalentes para as empresas que vendem dentro do Rio e equilibram a concorrência frente a outros estados.

- Com essa lei, vamos ter a oportunidade de competir em igualdade de condições com os outros estados e, assim, evitar a evasão de empresas, como vem acontecendo nos últimos anos. E, mais do que isso, daremos a competitividade necessária para que o Estado do Rio atraia empresas importantes para a geração de empregos e a arrecadação de impostos - afirmou o secretário de Estado de Fazenda, Guilherme Mercês.

As empresas interessadas em aderir ao novo RioLog terão que se dedicar exclusivamente às vendas para o comércio varejista. Para quem já está localizado no estado e pretende migrar para o regime, não será permitido recolher menos imposto do que a média dos últimos 12 meses. Com isso, o Estado garante uma arrecadação mínima e estimula a entrada de novos contribuintes.

- As micros e pequenas empresas são abastecidas pelos atacadistas. Com esse novo decreto, as empresas terão mais opções de compra e seus negócios serão fortalecidos. Mas o maior ganho do programa é o social: a geração de empregos - disse o presidente da Fecomércio, Antônio Florêncio.   

O RioLog já vai começar a beneficiar as empresas do setor no primeiro dia do segundo mês após a publicação em Diário Oficial.

Regime de Recuperação Fiscal

O novo RioLog não configura uma vedação ao Regime de Recuperação Fiscal, já que o Estado está replicando algo já existente na Região Sudeste, o que é autorizado pela legislação. 

Participaram da assinatura o deputado Márcio Pacheco; o secretário da Casa Civil, Nicola Moreira Miccione; o presidente da Associação dos Distribuidores (Aderj), Joílson Barcellos; o presidente da Fetranscarga, Eduardo Rebuzzi; e o presidente da Associação de Supermercados (Asserj), Flávio Queiróz.