Fundação Saúde do Estado assumiu a gestão do SAMU na madrugada deste sábado

  • Publicado em Matérias

Serviço vai operar com 60 ambulâncias e 30 motolâncias, e continuará recebendo chamadas pelo 192

Fundação Saúde do Estado assumiu a gestão do SAMU na madrugada deste sábado Credito Mauricio Bazilio SESA Fundação Saúde (FS) assumiu a gestão do SAMU no município do Rio de Janeiro no primeiro minuto de sábado (19/9). A Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a Fundação Saúde assinaram contrato de gestão no valor mensal de R$ 14.284.000,00.

O SAMU é o primeiro serviço de saúde a ser transferido para a Fundação dentro da nova modelagem de gestão que prevê a substituição gradual das organizações sociais pela FS. O serviço vai operar com uma estrutura de 60 ambulâncias - sendo 15 ambulâncias de suporte avançado (tipo UTI) e 45 ambulâncias de suporte básico -, além de 30 motolâncias (em motocicletas).

Leia também: Projeto de concessão dos serviços da Cedae tem adesão de 46 municípios

Os serviços oferecidos pelo Componente Pré-Hospitalar Móvel de Urgência e Emergência do SUS, que eram administrados pela empresa OZZ, caracterizam-se pelo atendimento aos usuários em situações de urgência e emergência em saúde, nas emergências clínicas, cirúrgicas, traumáticas, gineco-obstétricas, psiquiátricas e pediátricas, por meio das ligações recebidas pelo número único nacional para urgências médicas – 192. Os atendimentos são realizados em vias públicas, locais de trabalho e residências, e contam com equipes que reúnem médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e condutores socorristas.

O SAMU funciona com uma central de regulação, que é o núcleo responsável pelo recebimento das chamadas e o despacho do atendimento, de acordo com a ocorrência. A central de regulação funciona no prédio do Centro Integrado de Comando e Controle da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (CICC/PMERJ), e possui um sistema de tecnologia de informação responsável pela integração e monitoramento da operação, desde a chamada telefônica e o envio dos recursos assistenciais até o monitoramento das viaturas por meio de georreferenciamento. Esse sistema garante a otimização dos recursos e o acompanhamento em tempo real das respostas assistenciais.

O funcionamento do SAMU envolve pelo menos 1.100 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, condutores e pessoal de apoio operacional. Além disso, há múltiplos serviços de suporte. A Fundação Saúde realizou processo seletivo para contratar enfermeiros e técnicos de enfermagem, garantindo ampla participação com mais de 9.300 inscritos, dos quais 252 já foram contratados para início imediato. A contratação de médicos já foi efetivada mediante seleção de empresa terceirizada.

O início do serviço neste sábado se dará com 30 ambulâncias, e os novos veículos serão incorporados até 15 de outubro, quando o SAMU estará funcionando com a frota completa. O processo de contratação dos condutores dos veículos está em andamento. Os motoristas serão terceirizados e selecionados por critério técnico.